Estatísticas e informações

  • O Brasil é o 5º País com maior taxa de feminicídios do mundo;
  • 12 mulheres são assassinadas no Brasil por dia;
  • 12 mil mulheres sofrem violência por dia no Brasil;
  • 130 mulheres são estupradas por dia no Brasil – 51% são meninas menores de 13 anos!
  • 29% das mulheres brasileiras relatam ter sofrido algum tipo de violência no último ano;
  • Apenas 2% da população nunca ouviram falar da Lei Maria da Penha;
  • 52% das mulheres que sofrem violência se calaram;
  • 43% das agressões mais graves ocorrerem dentro de casa;
  • 40% das mulheres acima de 16 anos já sofreram algum tipo de assédio;
  • 66% dos brasileiros presenciaram uma mulher sendo agredida física ou verbalmente;
  • ¾ da população acreditam que a violência contra a mulher aumentou na última década;
  • Vergonha e medo de ser assassinada são percebidas como as principais razões para a mulher não se separar do agressor;
  • Metade da população considera que a forma como a Justiça pune não reduz a violência contra a mulher.

FONTES: Datafolha, Data Popular e Instituto Patrícia Galvão

Em abril de 2018, sancionadas 02 leis para coibir a violência contra a mulher (01 relacionada à violência na internet e outra ao descumprimento da medida protetiva.

Mais informações, estudos e publicações: http://agenciapatriciagalvao.org.br/

PERCEPÇÃO DA SOCIEDADE SOBRE VIOLÊNCIA E ASSASSINATOS DE MULHERES

Pesquisa Data popular e Instituto Patrícia Galvão

  • Apenas 2% da população nunca ouviram falar da Lei Maria da Penha.
  • 7em cada 10 entrevistados acreditam que a mulher sofre mais violência dentro de casa do que em espaços públicos.
  • 69% acreditam que violência contra a mulher não ocorre apenas em famílias pobres.
  • 54% conhecem uma mulher que já foi agredida por um parceiro.
  • 56% conhecem um homem que já agrediu uma parceira.
  • Vergonha e medo de ser assassinada são percebidas como as principais razões para a mulher não se separar do agressor.
  • 85% concordam que as mulheres que denunciam seus parceiros correm mais riscos de sofrer assassinato.
  • Metade da população considera que a forma como a Justiça pune não reduz a violência contra a mulher.
  • Para 86% as mulheres passaram a denunciar mais os casos de violência doméstica após a Lei Maria da Penha