Grandes mulheres que marcaram época e deixaram seus legados

luta feminina não começou ontem, desde o início dos tempos pode-se perceber a existência de mulheres fortes, guerreiras lutando por tantas outras. Algumas foram até consideradas loucas por está a frente do seu tempo, era inaceitável há muitos anos atrás a Mulher ter opinião, hoje graças a tantas irmãs de luta, as mulheres têm diversos direitos, o voto, o direito de estudar, trabalhar entre tantos outros.

Porém, todas as irmãs passadas, que sofreram o pior de uma sociedade machista não devem ser esquecidas, tantas mulheres com feitos memoráveis, se tem contribuições femininas desde a matemática à vitória de guerras. Então não se pode esquecer como os direitos hoje desfrutados pela classe feminina foram conquistados.

Mulheres com grandes contribuições para o mundo

  • Joana d’Arq

A história de Joana poderia ser confundida com a de tantas outras mulheres do século XXI.

Era pobre e analfabeta, mesmo assim não fugiu do seu chamado quando tinha apenas 17 anos e a missão de acabar com a Guerra dos 100 anos (1337-1453). Joana era francesa, e em pouco tempo de vida conseguiu autorização real para lutar contra a Inglaterra e chefiar um grande exército de homens. O seu fim é tão triste quanto os de outras tantas Joanas. Lutou bravamente, conquistou territórios e quando capturada por seus inimigos que a torturaram, ela foi abandonada pelo seu país, sendo queimada em uma fogueira em 1431, com apenas 19 anos.

Por seus feitos a moça ganhou diversos nomes, bruxa, feiticeira, louca por dizer ouvir as vozes de anjos, mas Joana foi mesmo uma guerreira, sendo canonizada pelo papa Bento XV em 1920, tornou-se padroeira da França.

  • Hipácia

Hipácia é o tipo de mulher que já chega quebrando o mito que matemática não é para mulher. Nascida em 355 d.C, tem no seu currículo acadêmico diversas profissões. Foi professora, astrônoma e uma das mais importantes pensadores da sua época.

Sendo também escritora, escreveu diversas obras, com temas de álgebra, ciência e mecânica. Infelizmente, suas obras foram perdidas no incêndio da biblioteca de Alexandria, local onde foi professora e diretora acadêmica. Ainda assim com tantos talentos, Hipácia era famosa mesmo pelo seu raciocínio matemático para solucionar problemas. Sempre era procurada para ajudar em casos matemáticos e pesquisadores a procuravam para lhe ouvir palestrar.

Não sendo novidade, mulheres poderosas ao longo da história do mundo são perseguidas, e mesmo com todas as suas contribuições, teve uma morte chocante e triste. Hipácia foi espancada, torturada e morta por uma multidão de cristãos. Sempre foi difícil ser uma mulher pensante e intelectual.

  • Dandara

Essa mulher é símbolo de resistência, de garra, de luta, mulher negra guerreira, sempre lutando não só pelas mulheres, mas por todo povo negro que buscava a liberdade.

Como já é tido de costume em meio a história contada se tenta apagar a visibilidade e importância das mulheres, talvez esse seja o motivo de não se ter muita coisa falando sobre a vida de Dandara. Pouco se sabe, e quando se conta sobre ela a colocam como simples “mulher de Zumbi dos Palmares”, mesmo ela sendo descrita como lutadora, valente, que ia à luta, dominadora de técnicas de capoeira, teria lutado muitas batalhas para defender o Quilombo dos Palmares, sendo auxiliadora em criar planos estratégicos de defesa e ataque. Conta-se também que Dandara preferiu a morte a ter que voltar a ser escrava, assim como seus antepassados que se jogavam dos navios negreiros ao mar para não serem escravizados, ela também tinha preferido o suicídio. Há relatos que ela se suicidou em fevereiro de 1694. Mas Dandara continua sendo símbolo de força, coragem e esperança.

A luta pelo espaço feminino continua

Percebe-se que muitas mulheres deixaram grandes legados, e ao longo da história do mundo tem tantas outras que lutaram pelo espaço feminino em diversas áreas, com contribuições inigualáveis para humanidade. Vale ressaltar também que a luta feminina não chegou ao fim, ainda tem mulheres sendo mortas, espancadas, abusadas, ganhando menos que o homem que exerce a mesma função, então a luta não teve fim, que as Joanas, Dandaras, Hipácias, Maria Quitéria de Jesus, Aba Lovelace, Nisia Floresta, Marie Cure, Pagu, entre tantas outras mulheres guerreiras. Não desistam, lutem, e que as próximas meninas sejam livres do machismo e empodeiradas.

 

 

Fonte: Blastingnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *