Os 10 momentos mais feministas do Rock in Rio 2019

Fonte: REVISTA MARIE CLAIRE

 

Veja publicação original:   Os 10 momentos mais feministas no Rock in Rio 2019

O Rock in Rio 2019 foi palco para manifestações políticas, discursos feministas e anti-racistas ao longo dos dois finais de semana de festival

Por Julia Pitanga

Rock in Rio é um dos maiores eventos de cultura e entretenimento do planeta. Ao longo de suas 19 edições – considerando as internacionais – o festival historicamente envolve muito mais do que diversão. Desde Woodstock, em 1969, artistas se preocupam em trazer para os palcos os discursos políticos das ruas.

Marie Claire faz um exercício de memória e relembra dez momentos em que o festival de 2019 foi cenário de manifestações políticos-feministas.

LELLÊ & BLAYA

As cantoras Lellê e Blaya, brasileira radicada em Portugal, abriram o Palco Sunset no primeiro dia de Rock in Rio 2019, com um show repleto de referências à black music, às favelas e ao funk.

Lellê, antes conhecida como a Lellêzinha do Dream Team do Passinho, fez homenagem ao Dj Rennan da Penha e defendeu sua liberdade: idealizador do Baile da Gaiola, Rennan está preso desde abril, condenado por associação ao tráfico. “Eu tenho essa responsabilidade enquanto mulher preta e favelada… Liberdade ao Dj Rennan da Penha!”

Nos primeiros minutos de seu show, o telão mostrou o rosto da vereadora Marielle Franco, assassinada em março do ano passado em crime ainda não elucidado. Acompanhou a imagem o áudio de um dos últimos discursos de Marielle: “Não serei interrompida. Não aturo interrompimento dos vereadores dessa casa. Não aturarei o cidadão que veio aqui e não sabe ouvir a posição de uma mulher eleita”, disse Marielle no trecho do discurso que foi reproduzido no Palco Sunset. Pelas redes, a homenagem foi celebrada. Este é o primeiro Rock in Rio depois da morte de Marielle.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *