Oscar: 8 mulheres que fizeram história na premiação

A 91ª cerimônia do Oscar, maior prêmio do cinema mundial, acontece neste domingo (24). Não podemos prever quais momentos icônicos acontecerão nesta edição, mas, revisitando as edições anteriores, é possível relembrar as várias formas que o trabalho feminino foi reconhecido pela indústria.

Universa traz aqui oito vezes em que as mulheres fizeram história no Oscar:

PRIMEIRA ARTISTA NEGRA A RECEBER UM OSCAR

Divulgação

Hattie McDaniel posa com seu Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante, em 1940Imagem: DivulgaçãoHattie McDaniel foi a primeira artista negra a ganhar uma estatueta, em 1940, época em que ainda se permitia a segregação racial na sociedade. Ela venceu o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante por “…E o Vento Levou”, mas quase foi barrada na entrada do evento: o hotel onde aconteceu a cerimônia não permitia a entrada de negros. Ela, seu acompanhante e seu empresário ficaram sentados em uma área isolada do salão, longe dos colegas de elenco dela.

PRIMEIRA (E ÚNICA) MULHER NEGRA A GANHAR O OSCAR DE MELHOR ATRIZ

Frank Trapper/Corbis via Getty Images

Halle Berry foi, até agora, a única mulher negra a vencer a categoria de “Melhor Atriz”Imagem: Frank Trapper/Corbis via Getty ImagesMuitos anos depois, em 2002, Halle Berry foi a primeira negra a receber o Oscar de Melhor Atriz por seu trabalho em “A Última Ceia”. Berry ficou extremamente emocionada durante seu discurso. Até agora, nenhuma outra atriz negra foi contemplada com o mesmo prêmio.

PRIMEIRA MULHER INDICADA NA CATEGORIA DE MELHOR DIRETOR

Divulgação

A italiana Lina Wertmüller, primeira mulher indicada ao Oscar de Melhor DiretorImagem: DivulgaçãoA italiana Lina Wertmüller foi a primeira mulher a ser indicada ao prêmio de Melhor Diretor por seu trabalho no longa “Seven Beauties”, em 1977. Infelizmente, ela não levou a estatueta para casa.

PRIMEIRA (E ÚNICA) MULHER A GANHAR O PRÊMIO DE MELHOR DIRETOR

Corbis via Getty Images

Kathryn Bigelow ainda é a única mulher contemplada com o prêmio de Melhor DiretorImagem: Corbis via Getty ImagesFalando no prêmio de Melhor Diretor, somente em 2010 uma mulher foi contemplada com a honra: Kathryn Bigelow, por “Guerra ao Terror”. Ela também recebeu o Oscar de Melhor Filme naquele ano, e até agora foi a única diretora premiada pela Academia nesta categoria.

PRIMEIRA MULHER TRANS A APRESENTAR O OSCAR

Frazer Harrison/Getty Images

A atriz chilena Daniela Vega fez história no Oscar 2018Imagem: Frazer Harrison/Getty ImagesA atriz chilena Daniela Vega foi a primeira pessoa transgênero a apresentar uma categoria do Oscar, em 2018. Ela também marcou outro aspecto da cerimônia no mesmo ano: foi primeira vez que um filme estrangeiro estrelado por uma atriz trans ganhou algum prêmio da Academia (o longa “Uma Mulher Fantástica”, no qual Vega atuou, venceu a categoria de Melhor Filme Estrangeiro).

PRIMEIRA MULHER NEGRA A SER INDICADA A MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

Divulgação

Dee Rees foi a primeira negra indicada ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado, em 2018Imagem: DivulgaçãoA diretora e roteirista Dee Rees fez história ao ser a primeira mulher negra a concorrer a um Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por “Mudbound: Lágrimas sobre o Mississipi”, em 2018.

PRIMEIRA ARTISTA A SER INDICADA COMO MELHOR ATRIZ E MELHOR CANÇÃO ORIGINAL

Divulgação

A atriz e cantora Mary J. Blige, indicada a dois prêmios principais da Academia em 2018Imagem: DivulgaçãoTambém por “Mudbound”, a atriz e cantora Mary J. Blige foi a primeira artista na história a ser indicada, no mesmo ano, nas categorias de atuação (Melhor Atriz Coadjuvante) e Melhor Canção Original. Este ano, Lady Gaga repetiu o feito ao ser indicada como Melhor Atriz e Melhor Canção Original com seu trabalho em “Nasce uma Estrela”.

PESSOA MAIS VELHA A SER INDICADA EM QUALQUER CATEGORIA

Divulgação

A diretora belga Agnès Valda é a pessoa mais velha a ser indicada ao Oscar, com 89 anosImagem: DivulgaçãoA diretora belga Agnès Varda é a pessoa mais velha a receber uma indicação em qualquer categoria do Oscar: em 2018, aos 89 anos, ela concorreu ao prêmio de Melhor Documentário com “Visages Villages”, mas perdeu. No mesmo ano, ela recebeu o Oscar Honorário por sua contribuição à sétima arte.

FONTE: UNIVERSA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *