Projeto “Solta a Voz, Guria!” visa o empoderamento de meninas em Canoas

Com o objetivo de promover o empoderamento de meninas e a igualdade de gênero no ambiente escolar, os alunos da Escola Municipal Arthur Pereira de Vargas, em Canoas, lançaram o projeto “Solta a Voz, Guria! Queremos ouvir a sua história”. A iniciativa vai promover um ciclo de palestras com profissionais de diversas áreas, como política, história, psicologia, esporte, direito, empresariado, entre outras. Além da visibilidade feminina, as palestrantes ainda darão ênfase à temática da valorização da mulher, buscando o arrefecimento de qualquer forma de preconceito nos espaços da sociedade.

O projeto foi apresentado ao prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato, e à vice-prefeita, Gisele Uequed, na Prefeitura, pelos próprios alunos. O prefeito parabenizou a iniciativa e destacou que a escola deve ser, além de um espaço de aprendizado, um local de desenvolvimento da cidadania. “É com muita alegria que recebemos projetos nesse molde, que pensam nos problemas da sociedade e tentam resolvê-los”, destaca Busato.

Para Gisele, a iniciativa representa uma oportunidade que a comunidade escolar tem de discutir e refletir sobre o papel da mulher em nossa sociedade. “Precisamos lutar pela equidade, pela valorização e pelo protagonismo das mulheres em diferentes espaços sociais. Além disso, o projeto favorece um ambiente de diálogo e de perspectivas inovadoras para os alunos”, comenta a vice-prefeita. Gisele foi convidada pela aluna do 8º Ano, Jaqueline de Campo Freitas Soares, para realizar uma palestra na escola e falar sobre o papel da mulher na política.

Outras atividades promovidas no projeto são as oficinas culturais para a criação autoral de diferentes manifestações artísticas, como pintura, música e teatro, a fim de possibilitar que os alunos expressem suas emoções, desenvolvam a empatia pelo próximo e estabeleçam o espírito colaborativo.

A iniciativa dos alunos conta com o apoio das professoras de português, Daniela Duarte Ilhesca, de matemática, Fernanda Moser, e da orientadora, Luciane Czerwinski. Segundo Fernanda, o projeto permite um espaço de reflexão, engajamento e criatividade. “Melhoramos as relações comunicativas entre educadores, educandos e comunidade escolar, através do estímulo do protagonismo de mulheres e coibindo qualquer forma de manifestação discriminatória e violenta. É na educação básica que conseguimos fortalecer a identidade feminina, por meio da representatividade e da visibilidade de mulheres, tanto históricas quanto as da nossa cidade. Assim, contribuímos para a formação de uma sociedade mais igualitária e justa, menos machista e preconceituosa”, ressalta a professora.

Idealização do projeto

O projeto foi idealizado a partir de conversas entre os alunos no Grêmio Estudantil da escola. “Nos nossos encontros, surgem assuntos como depressão, baixa autoestima, violência doméstica, violência escolar e suicídio. Percebemos que as meninas são as principais afetadas, por isso, a nossa ideia foi desenvolver um projeto de valorização da vida, buscando trazer exemplos de mulheres para que possamos nos inspirar”, destaca Jaqueline.

A estudante ainda explica que os colegas e ela estão engajados na execução de projetos que primam pelas interações empáticas e colaborativas, de igualdade de gênero e de valorização da vida. O projeto está inscrito na premiação “Criativos da Escola”, que encoraja crianças e jovens brasileiras a transformarem suas realidades, reconhecendo-os como protagonistas de suas próprias histórias de mudança.

 

 

Fonte: Sou de Canoas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *