Secretaria de Assistência Social ultrapassa metas estipuladas do planejamento anual

Foram cerca de 51.500 atendimentos realizados neste ano de 2019 em todos os programas e projetos da Pasta

 

A Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Várzea Grande apresenta relatório anual das ações integradas que foram realizadas no município durante 2019 e que resultaram em mais de 50 mil atendimentos as pessoas assistidas pelos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) do município,  além de 4.500 atendimentos registrados pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), contabilizando cerca de 51.500 mil atendimentos nestes organismos sociais. O relatório divulga serviços, benefícios, projetos e programas executados pela Assistência Social durante o período de janeiro a dezembro 2019.

A Secretaria Municipal de Assistência Social é responsável pela implementação da Política de Assistência Social estabelecida pela Administração Pública de Várzea Grande, em consonância com a Atual Política Nacional de Assistência Social na perspectiva do Sistema Único de Assistência Social (SUAS).

“A Assistência Social atende cidadãos com a finalidade de garantir a proteção social à família, a infância, a adolescência, a velhice, ou seja, em toda fase da existência humana. O sistema organiza as ações da Assistência Social em dois níveis de proteção: A Proteção Social Básica, destinada a prevenção de risco social por meio da oferta de programas, projetos, serviços e benefícios a indivíduos e famílias em situação de vulnerabilidade social, cuja ação preventiva no exercício dos direitos de cidadania requer dessa forma intervenções orientadas a evitar a ocorrência e/ou agravamento de situações de vulnerabilidade e risco social, que impedem o acesso da população aos seus direitos”, explica a secretária municipal de Assistência Social,Flávia Omar.

Já o segundo nível é a Proteção Social Especial que organiza a oferta serviços, programas e projetos de caráter especializado. “Este segmento de proteção social visa contribuir para a reconstrução de vínculos familiares e comunitários o fortalecimento de potencialidades e aquisições e a proteção às famílias e indivíduos para o enfrentamento das situações de risco pessoal e social, destinado à família e indivíduos que já se encontram em situação de risco pessoal e/ou social que vivenciam violação de direitos”, pontua a secretária.

Segundo a Secretária de Assistência Social, Flávia Omar, a integração e articulação entre diversas Secretarias do município resultaram em serviços, programas e projetos destinados exclusivamente ao atendimento para a população e capacitação de servidores. Mais de 5 mil famílias em situação de vulnerabilidade social e econômica receberam atendimento da Pasta e 2.500 pessoas utilizaram o serviço do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua – POP, para alimentação, higienização, oficinas, encaminhamentos, visitas, entre outros.

“É preciso adotar as políticas sociais compatíveis com a ordem sob a égide da democracia e da cidadania. Para tanto é necessário avançarmos para a universalização dos direitos, qualificação e equidade dos serviços na construção da inclusão social, como na coordenação e gerenciamento de serviços e ainda no planejamento de Políticas Sociais. O desafio está posto para que possamos contribuir para o avanço da democracia, da participação social e da consolidação de uma política integrativa de  certezas e  seguranças para a população de Várzea Grande”, sublinhou a secretária Flávia Omar.

A ‘Semana de Enfrentamento à Violência Doméstica e Sexual Contra a Criança e Adolescente’, mobilizou as secretarias de Educação, Saúde,  além da Assistência Social com objetivo de sensibilizar a população sobre a função da família e da sociedade no fortalecimento das políticas públicas municipais com programação alusiva à ‘Semana de Enfrentamento.

Outra ação integrada da Assistência Social foi serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF)  que tem a finalidade de fortalecer a função protetiva da família, prevenir ruptura de vínculos e promover acesso aos direitos e contribuir na melhoria da qualidade de vida,  com a participação  de cerca de 6 mil famílias e adolescentes nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS).  Além do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos que envolve famílias, idosos e adolescente que computou 341 intervenções sociais.

O Bolsa Família somou neste ano contabilizou  709 atendimentos à população. A Casa de Amparo para Mulheres Vitimas de Violência Doméstica atendeu 40 mulheres e mais 50 crianças. Os atendimentos da Casa de Acolhimento somou cerca de 200 atendimentos à crianças e adolescentes.

Na gestão atual foram implantados 4 projetos sociais municipais que atende demanda de mulheres,  juventude e  gestantes do município. “Amigas Empreendedoras” já computa 5 mil atendimentos mulheres com oficinas de profissionalização voltado ao incremento da renda doméstica e empoderamento feminino.

“Projeto Laços Maternos” atendeu em 2019, mais de 1000 mulheres com atendimentos médicos, sociais, oficinas de profissionalização, além da produção própria do enxoval do bebê.

O projeto social “Juventude Ativa” contemplou 500 adolescentes com oficinas de desenvolvimento humano, intelectual e cultural. Já o “Caderno II” voltado para este mesmo segmento beneficiou 300 adolescentes em vulnerabilidade social, no contraturno escolar, com atividades de moda, dança, práticas esportivas, música, teatro, reforço escolar, informática e horta visando o empoderamento da autonomia própria e capacitação técnico-profissional para a juventude do município.

 

Por: Claudia Joséh – Secom/VG

 

FONTE: VÁRZEA GRANDE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *